Sakya Pandita (1182-1251)

          Sakya Pandita Künga Gyaltsen, sobrinho de Jetsün Dragpa Gyaltsen, nasceu em 1182. Seu nascimento foi acompanhado por uma luz clara no céu e marcas em seu corpo anunciavam que tratava-se de alguém com grande acumulação de méritos. Ele é renomado por sua erudição e realizações políticas. Sakya Pandita é considerado uma emanação de Manjushri.

            Sakya Pandita escreveu muitos trabalhos influentes e foi fundamental em fazer as dez ciências completas no Tibet. Alguns desses trabalhos incluem a Diferenciação dos Três Votos, o Tesouro do Conhecimento Relativo à Cognição Ideal e o Tesouro do Conselho Bem Falado. Ele ainda derrotou famosos sábios hindus em debates filosóficos e possuía poderes miraculosos. Foi o primeiro a conseguir êxito em provar a grandiosidade do budismo fora do Tibet.

          Em 1244, Sakya Pandita aceitou um convite à Mongólia da corte do príncipe mongol Godan Khan com o propósito de negociar a submissão do Tibet à Mongólia. O príncipe Godan Khan ficou tão impressionado com os poderes de Sakya Pandita que converteu-se ao budismo e fez de Sakya Pandita o preceptor religioso.

          Aos 70 anos, Sakya Pandita partiu para a terra espiritual do júbilo, tendo atingido e atravessado os cinco caminhos e os dez níveis de um bodhisattva. Tornou-se completamente realizado, como confirmado pelo seu sobrinho Chögyal P'hagpa.

Súplica ao Rei dos Shakyas

 

          Prostrações ao mestre e a Manjushri!

 

[1] Sob a árvore de bodhi, a terra e o céu foram preenchidos com as hordas de Mara.
Caíram relâmpagos, lanças, rodas de armas, fogo, montanhas e picos nevados.
Poderosos arqueiros com arcos de flores tentaram bloquear magicamente o caminho para a iluminação.
Prostrações àquele que os derrotou completamente com uma mente amorosa e atingiu a iluminação perfeita.

[2] Quando você, para beneficiar os outros,
Criou a excelente mente da iluminação
Com resolução e ação perfeitas,
Até mesmo a terra tremeu em seis movimentos.

[3] Você acumulou completamente a generosidade e a moralidade,
Tornou-se mestre na paciência e na diligência,
Realizou a concentração e a sabedoria.
Prostrações a você, que realizou as perfeições.

[4] Protetor dos seres, quando você nasceu,
Todos os sábios do mundo se regozijaram.
Todos os demônios ficaram extremamente receosos
E todos os hereges ficaram com medo,

[5] Pois os trabalhos sagrados de sua doutrina
Brilham como a luz do sol.
Nunca enganando de qualquer modo.
Tomo refúgio em você, a fonte de tudo.

[6] Quando você proclamou a escritura que é como o rugido do leão,
Todos os mundos, incluindo os dos deuses
Brahma e Vishnu, foram calados
E os mestres dos deuses esconderam-se como raposas.

[7] Prostrações a você que, com o Dharma,
Derrotou os instruídos Kangmig, Trogkhar,
O rishi Gyepa, o rishi Nejok
E muitos outros renomados.

[8] Mesmo após atingir a iluminação perfeita,
Você ainda realiza maravilhosamente o benefício para os seres.
Para aqueles que não estão livres do apego à existência,
A vida renunciada faz os seus cabelos ficarem arrepiados.

[9] Mas, desconsiderando a sua própria vida sagrada,
Você resolveu beneficiar os seres
E aceitou os sem-protetores como nós.
Tomo refúgio em você, protetor.

[10] Conquistador, você domou a horda dos demônios,
Derrotou todos os hereges, sem exceção,
Liberou incontáveis discípulos shravakas
E profetizou os nobres bodhisattvas.

[11] Aqueles que percebem esta excelência
Esforçam-se para atingir as suas qualidades.
Então, eu, que tomei a meta da iluminação,
Novamente tomo refúgio em você.

[12] Seu filho é Manjushri.
Seu discípulo é Shariputra.
Seu regente sagrado é Maitreya.
Quem, entre os inteligentes, poderia duvidar?

[13] Mesmo se mencionar a suas próprias perfeições,
As boas qualidades dos seus filhos são deslumbrantes
Assim como, através dos raios gloriosos do amanhecer,
Conhecemos o brilho da luz solar.

[14] Você realiza a natureza de todos os fenômenos
Exata e inteiramente.
Prostrações à você que realizou
Cada ato sagrado, assim como você desejou.

[15] Assim, o mestre dos seres da família Shakya
Nasceu no clã Puramshing.
Através desta homenagem ao abençoado, o Buddha perfeito,
Possam todos os seres alcançar rapidamente a onisciência.

 

          Estes quinze versos de súplica ao rei do clã Shakya foram escritos pelo glorioso Sakya Pandita, no templo de Lhasa.