I am a title 03

Representatividade do Rinpoche

Sua Eminência 25º Chogye Trichen Rinpoche, Ngawang Khyenrab Thupten Lekshe Gyatso (1920-2007), foi, durante sua época, o mais antigo Lama da Tradição Sakya do Budismo Tibetano e o titular supremo da subescola Tsarpa desta linhagem. Sua Eminência foi um mestre tântrico insuperável e um erudito supremamente realizado. Ele contou como seus discípulos, os detentores do trono (líderes supremos) da maioria das linhagens do budismo tibetano, incluindo Sua Santidade 14º Dalai Lama, Sua Santidade 41º Sakya Trizin, Sua Santidade 42º Sakya Trizin e Sua Eminência Gyana Vajra Rinpoche.

Ele foi reverenciado como um professor extraordinário e praticante realizado por seus numerosos discípulos, por mestres de todas as tradições e mantido na mais alta consideração por qualquer um que tenha sido abençoado por sua presença.

Do rei Birendra, do Nepal, ele recebeu o título de “Gorkha Dakshin Babu”, sendo o único monge budista a receber este tributo.

Sua Eminência nasceu em 1920 em Tsang, Tibete Central, e a ocasião foi marcada por muitos sinais auspiciosos. Pertencia à família Shalu Kushang, do clã Che, descendentes diretos dos Deuses da Luz Clara. O nome "Kushang", significa "tio materno real", e a família o sustentou porque muitas de suas filhas casaram-se com detentores de trono Sakya. A família também era única, na medida em que, em cada uma de suas gerações, pelo menos quatro filhos foram gerados, dos quais vários se tornaram detentores de trono dos mosteiros Sakya.

O 13º Dalai Lama reconheceu Sua Eminência como a reencarnação do anterior Chogye Trichen Rinpoche do Mosteiro de Nalendra. Como tal, ele se tornou o 25º patriarca do Monastério Phenpo Nalendra, perto de Lhasa, no Tibete. Nalendra, fundada em 1439, por Rongton Sheja Kunrig (1367-1449), foi, até sua destruição em razão da tomada do poder ‘pela cultura destrutiva chinesa’, um dos mosteiros Sakya mais importantes do Tibete.

Com a idade de 12 anos, Sua Eminência foi entronizado em Nalendra, onde estudou assiduamente todos os principais textos e rituais do mosteiro. Dos seus Gurus-raiz, o 4º Zimwog Rinpoche Kunga Tenzin e Dampa Rinpoche Shenphen Nyingpo, ele recebeu todos os principais ensinamentos e transmissões Sakya, principalmente o precioso Lamdre, os Treze Dharmas de Ouro, os Mahakalas Maior e Menor, e muitos outros. Sua Eminência foi um erudito, poeta, historiador e se destacou na metafísica budista.

Quando os chineses entraram no Tibete, ele fugiu para Mustang, onde estava sua irmã que era casada com o Rei. Em 1962, ele foi convidado por Sua Santidade, o 14º Dalai Lama para atuar como Secretário-Geral do Conselho de Assuntos Religiosos e Culturais do Governo tibetano no exílio, em Dharamsala, Índia.

Então, ele partiu para a Índia, onde cumpriu essa função até 1969, quando foi a Lumbini, no Nepal, para cumprir a promessa feita por ele e o Rei de Mustang, seis anos antes, durante uma peregrinação: construir um mosteiro no local do nascimento do Buda. Em maio 1975, o Mosteiro Tashi Rabten Ling foi inaugurado e desde então se tornou um local de peregrinação para todos os budistas que visitam Lumbini. Um mosteiro novo e maior foi posteriormente construído nas proximidades. Desde sua inauguração em 2004, este último já sediou o Grande Festival Anual de Preces de Aspiração Sakya Monlam.

Sua Eminência também construiu o mosteiro Jamchen Lhakhang, em Boudhanath, Nepal, onde viveu até sua passagem para o parinirvana, em janeiro de 2007.

Assim, Sua Eminência estabeleceu a nova sede da linhagem Tshar, no exílio, perpetuando a antiga tradição do mosteiro Nalendra no Tibete. Sua Eminência também estabeleceu centros de retiro no Nepal, Mustang, bem como centros de Dharma na Austrália, Nova Zelândia, Hong Kong e Taiwan. Durante sua vida, Sua Eminência passou muitos anos em retiro e dedicou a maior parte de seu tempo de vigília à prática. Dizia-se que ele dormia apenas uma hora, e isto sempre o fazia sentado.

O grau de sua realização ficou claro quando, aos 87 anos, passou para o parinirvana. Sua Eminência permaneceu no estado de Tukdam, descansando na clara luz da morte, durante 15 dias. Seu corpo foi cremado em Jamchen Lhakhang, e muitos sinais auspiciosos acompanharam a cerimônia. Ele continua sendo o mestre do coração de inúmeros discípulos, que aguardam ansiosamente seu retorno em forma de rupakaya.

 

Nalendra Monastery

 

O Mosteiro Nalendra, em Phenyul, no Distrito de Penpo do Tibete Central, foi fundado em 1435 pelo grande mestre Sakya, Rongtompa Sheja Kunzig, um dos Seis Ornamentos do Tibete. Este grande Lama nasceu no país oriental de Gyalmo Rong, em 1367, e é considerado uma emanação de Arya Manjushri. Ele tinha memórias de encarnações anteriores como grandes mestres da Índia e do Tibete, incluindo Kamalashila. Sua clareza incomparável como professor e sua habilidade impecável no debate lhe valeram o título de “Leão do Discurso”.

Ele não era apenas um estudioso realizado, ele também era conhecido por seus siddhis, tais como, ressuscitar os mortos, voar no céu e seu poder de emanação.

Ele viveu até a idade de 84 anos, quando deixou este mundo para o céu de Tushita. Nalendra deve seu nome à famosa Nalanda, principal centro de aprendizagem budista da época na Índia. Os últimos dezoito detentores do trono de Nalendra, todos, pertenceram ao clã celestial Che. As duas linhas principais de Lamas (detentores de trono) que atenderam Nalendra ao longo dos séculos foram: os Chogye Trichen Rinpoches e os Zimwog Rinpoches. Sua Eminência 25º Chogye Trichen Rinpoche foi o mais recente detentor supremo do trono Tsarpa, até sua passagem para Parinirvana em 2007.

 

Fonte: Melody of Dharma, no.3, pp 3-5, 2010.

* Traduzido para o português pelo Grupo Wisdom Light

voltar_edited_edited.png