IMG_4470%20(1)_edited.jpg

Sua Eminência Chogye Trichen Rinpoche

O 25º Detentor do Trono de Nalendra

1920 - 2007

Tópicos

 

O nobre Clã no qual Ele nasceu e a maneira em que foi entronizado como o Detentor do Trono Principal

Sua Eminência Chogye Trichen Rinpoche nasceu como filho de Sonam Senge Wangchuk e de Chimey Dolkar, filha da família Pal-ling, no clã divino-luminoso conhecido como Kushang, em Shigatse, uma província do grande Tibete, no 4º mês lunar do calendário tibetano do ano do Macaco-de-Ferro.

O clã no qual Sua Eminência nasceu é conhecido como a linhagem luminosa de Che, que produziu os grandes lotsawas [tradutores], como Gyana Siddha e Che Khyi-druk, dentre outros.

No início da divulgação do Budadharma no Tibete, Chetsun Sherab Jungney, um discípulo do grande Lotsawa Dorje Wangchuk, um dos Dez Homens Renomados do Tibete Central, fundou o Shalu Serkhang. Durante o mandato do décimo Khenpo em Shalu, Kushang Drakpa Gyaltsen convidou o onisciente Buton para o trono principal.  Ele realizou três atividades: explicação, debate e composição e estabeleceu o Mosteiro Shalu Ribuk. Dessa forma, este clã, em particular, tornou-se uma grande fonte de Sutra, Tantra e outras ciências, produzindo adeptos notáveis como: Lotsawa Rinchen Namgyal, Chetsun Vajradahra Khyenrab Choje, Lochen Choe-kyong Sangpo, juntamente com Tsarchen Dorje Chang e seus discípulos proeminentes. Essa é a grandeza com a qual o divino Dharma do clã Che é dotado!

Na época, quando os Sakya reinaram sobre o Tibete, Che Sang-ye, um membro do clã, tornou-se o chefe da prefeitura de Shalu, que era uma das treze prefeituras do Tibete, com dez mil famílias constituindo uma prefeitura. Essa é a grandiosidade dos assuntos mundanos dos membros do clã Che. Uma filha de Che Sang-ye, Khandro Bum, foi tomada como consorte de Drogon Chagna, e ela deu à luz Dharmapala Rakshita. Dessa época em diante, esse clã foi conhecido como Shalu Kushang.

Shonnu Bum, a mãe de Lama Dhampa Sonam Gysaltsen, e seu irmão também eram da família Shalu. Assim, esta nobre família provou ser um clã supremo, que foi abençoado com muitas reverenciadas senhoras que geraram muitos bodisatavas. Neste clã sagrado, Sua Eminência nasceu como filho de Sonam Senge Wangchuk, que carregava com sucesso a linhagem da nobre família Shalu. A mãe de Sua Eminência também era de uma família nobre, da linhagem de Drangti Gyal-nyen Kharphuk e Drangti Lotsawa Jaya Rakshita, que foram dois dos nove médicos especialistas do Rei Dharma Trisong Deutsen.

Durante a posterior disseminação do Budadharma no Tibete, Drangti Dharma Nyingpo, desse nobre clã, ganhou renome entre os filósofos como a fonte final do Abhidharma. Ele e muitos outros estudiosos e adeptos, como Thartse Penchen Namkha Palsang e seus quatro tios e sobrinhos da abadia Thartse, também eram bens dessa nobre família, na qual a mãe de Sua Eminência nasceu.

O tio paterno de Sua Eminência, Khansar Khenpo Jampal Nyingpo, o adornou com o nome do Dharma, Kunsang Chimey Wangpo. Aos sete anos, ele começou a aprender as artes da leitura e da escrita com seu pai e irmão, Namkha Kunsang. Ele recebeu o voto de Upasaka (os votos dos leigos dos cinco preceitos), de Thartse Khenpo Jamyang Kunsang Tenpae Gyaltsen. Como ele ficou gravemente doente por um período de quase três anos, sua mãe prometeu que a criança deveria ser entregue à proteção de seu tio, Khangsar Khen Rinpoche. Entretanto, seu pai era a favor de enviá-lo aos cuidados de seu irmão que vivia em Thartse. Porém, em 1929, quando Sua Eminência completou dez anos, alguns tesoureiros do Palácio Chogye Lama vieram convidá-lo para Nalendra, tendo em mãos uma carta de reconhecimento com o selo do 13º Dalai Lama. Assim, aos 12 anos, ele foi colocado no trono do Dharma do grande Rongton [o fundador de Nalendra].

Nalendra, o Grande Trono, e a razão pela qual Sua Eminência foi colocado como possuidor da Doutrina

 

O grande Rongton, um onisciente, nasceu em Gyalmo Rong, no ano da ovelha de fogo, em 1367, como filho do sábio Rei Gegoe. Até os 18 anos, ele exerceu a tarefa de ensinar, debater e compor de acordo com a tradição Bon e Sherab Gyaltsen, o fundador de Menri, a sede principal do Bonpo, que foi discípulo de Rongton. Aos 18 anos Rongton estudou as quatro principais ciências com Lingtoe Rinchen Namgyal no Instituto Sangphu. Aos 22 anos foi aluno de Khenpo Kunga Gyaltsen de Drosey, entre outras coisas, e recebeu os votos de ordenação monástica de noviço, bem como os votos completos de Bhikshu. Deste modo, ele foi adornado com o nome bhikshu, Shakya Gyaltsen. Aos 27 anos, ele teve a oportunidade de ver o grande estudioso e adepto Khenchen Yakpa, que dominou vários textos e recebeu as artes de explicação relacionadas aos Sutras de acordo com a tradição Sakya.  Ele também recebeu de Thekchen Choje o Tantra de Hevajra em Dois Capítulos e o Lamdre; de Senge Gyaltsen de Yarlung, ele recebeu o Tantra Triplo e assim por diante, e praticou o profundo significado do mantra secreto. Resumindo, dos 22 aos 83 anos, dedicou todo o seu tempo ao ensino, ao debate e à composição. Compôs comentários sobre textos de Sutra, como Prajna Paramita em cem mil versos, entre outras coisas mais; textos do Tantra, como Guhya Samaja e assim por diante, e comentários sobre os cinco principais tratados da filosofia budista, bem como sobre quarenta outros tratados.

Ele produziu muitos discípulos, tais como, os Quatro Grandes Pilares que Elevam a Doutrina, os Dois Professores Supremos e os Oito Ornamentos que Embelezam a Região do Himalaia (Tibete), os Três Discípulos com atividades espirituais idênticas, os Dezesseis Mestres que iluminam a Doutrina e os Quatro Mestres eruditos dotados com o nome Kirti (os famosos). Além disso, ele havia produzido Gorampa Sonam Senge e Shakya Chogdhen, os dois senhores acadêmicos.

Cerca de seis mil detentores de Tripitaka, como o sexto Karmapa Thongwa Dhondhen, Dagpo Rabjam Tashi Namgyal, um detentor do trono do Gelug, Lodue Choekyong, e Palden Senge, um detentor do trono de Drepung, e assim por diante, também buscaram ensinamentos deste mestre incomparável, Rongton Shakya Gyaltsen. Diz-se que não havia ninguém que melhor tivesse mantido a continuidade da linhagem de ensino, e produzido tantos discípulos diretos, como Chapa Choeseng, Chomden Rigral e o grande onisciente Rongton. Aos 69 anos, em 1435, ano da lebre de fogo, ele estabeleceu o santuário principal de Nalendra, as residências superior e inferior e 137 alojamentos para monges.

Os semestres de ensino de inverno e verão foram realizados de forma semelhante à do Instituto Sangphu, onde até 800 monges se reuniram. Gradualmente, o número aumentou para dois mil. Finalmente, ele entrou em Parinirvana em 1449, o ano do Dragão-Terra. O segundo detentor do trono, Tashi Namgyal [primeiro sucessor], deu ensinamentos de Sutra e Tantra, diariamente, de coração. Ele derrotou muitos estudiosos através de sua habilidade no debate, e era conhecido por ser dotado de clarividência. O terceiro, Rigpai Wangchuk Gewa Gyaltsen, admitiu que ele era incomparável a qualquer um abaixo dos mundos de Brahma, quando se tratava das artes de explicar ensinamentos através da sabedoria e uso de citações. O quarto grande estudioso, Gungru Sherab Sangpo, ficou famoso como alguém cujo conhecimento em compor textos era inédito. O quinto, Chogye Kunga Dorjee, o sexto, Khyenrab Tenpai Nyim e o sétimo, Lobsang Namgyal Pal Sangpo, foram detentores do trono de Nalendra, respectivamente.

Por cerca de vinte anos esta instituição monástica floresceu, com o número de monges chegando a três mil na época. Havia quarenta e cinco setores de casas, quatro faculdades monásticas, uma assembleia principal e dois palácios de Lama. No entanto, durante o mandato dos dois últimos abades, este instituto sofreu uma imensa degeneração. Este evento em particular levou os administradores do mosteiro a convidarem o possuidor de todos os profundos ensinamentos Sakya, Dagchen Vajradhara Lodroe Gyaltsen. Ele então deu o ensinamento do Lamdre para cerca de mil alunos. Ao assegurar as aspirações espirituais de Bodichita para salvar Nalendra de mais deterioração, Shalu Khenpo Khyenrab Choje, o tio paterno do clã Che, o filho de coração de Ngorchen e seus discípulos, foi entronizado como o oitavo detentor do trono de Nalendra. Aos 62 anos, Khyenrab Chogye entrou em Parinirvana no 18º dia, do 12º mês lunar do ano da cobra de fogo. Neste período, o comitê responsável em manusear os rituais de pós-morte aconteceu de ser conhecido como Chogye (o 18°). A partir desse momento, muitos mestres estritamente comprometidos com o puro samaya nasceram na nobre família Che e ascenderam ao trono. Quando o 24º detentor do trono, Chetsun Rinchen Khyentse Wangpo, entrou em Parinirvana, o 13º Dalai Lama reconheceu Sua Eminência Chogye Trichen Rinpoche como a reencarnação do 24º detentor do trono. Como ele era o detentor da linhagem paterna de Chetsun, a doutrina de Rongton foi entregue a ele.

O 8º, Shalu Kushang Khyenrab Choje, recebeu o empoderamento de Kalachakra através da linhagem direta e tornou-se um mestre renomado. Sonam Chogdrup foi o 9º detentor do trono. O 10º detentor do trono, Jamyang Donyod Gyaltsen, foi convidado pelo imperador chinês da dinastia Ming e ofereceu-lhe uma coroa, manto e selo dourado. Neudung do Tibete ofereceu-lhe uma propriedade monástica. O 11º detentor do trono foi Shakya Dondrup. O 12º foi Lhatsun Sonam Lhundrup. O 13º foi Chogleg Dorje e o 14º foi Che-tsun Tenzin Sangpo, que também ganhou fama na disseminação de suas atividades espirituais.

O 15º detentor do trono foi Khyenrab Tenzin Lhundrup. O 16º, Khyenrab Jampa Ngawang Lhundrup, deu o Lamdre trinta vezes e Vajramala cinquenta vezes. Eles produziram muitos discípulos e tornaram-se pilares de vida dos ensinamentos budistas em geral, e das instruções da Linhagem Sussurrada para os Discípulos, em particular.

O 17º detentor do trono, Khyentse Rabten, estabeleceu muitos mosteiros na área de Kham. O 18º detentor do trono Gachen Khyabdag Nyingpo, foi reverenciado por seus incontáveis discípulos no Tibete e na China por suas atividades espirituais. O 19º detentor do trono, Ngawang Kunchen, realizou atividades espirituais como a disseminação de ensinamentos e retiros para recitação de mantras. Ele também meditou em Vipashyana por três anos. O 20º do trono, Tenpai Wangchuk Gyurmed Chogdrup, disse ter sonhado ver o sol nascente se transformar em Manjushri e ser absorvido em seu corpo e, devido a este evento, sua sabedoria de lótus floresceu.

O 21º detentor do trono, Gedun Tashi Paljor, e o 22º, Zimog Chetsun Tenzin Nyendrag, dominaram o Lamdre e o Prajanaparamita. Também foi dito que ele obteve realizações em reviver os mortos. O 23º detentor do trono foi Khyenrab Ngedon Samgpo. O 24º, Rinchen Khyentse Wangpo, foi profetizado por Machig Labdron como a reencarnação de Rongton.  Ele concedeu o Vajramala quatro vezes, o cânone budista três vezes e o Lamdre várias vezes; e ele obteve de volta, do governo tibetano, o título de Khenpo. Assim, o 25º, Sua Eminência Chetsun Trichen Ngawang Khyenrab Thupten Lekshey Gyatso, foi o 25º detentor do trono de Nalendra. Entre os dezoito Shalu Kushangs, o título Chogye foi dado a partir do nono deles, Rinchen Sonam Chogdrup.

Durante aqueles tempos havia uma assembleia, duas faculdades monásticas, cinco setores de casas e três palácios de Lamas no mosteiro de Nalendra, abrigando cerca de 700 monges. Tashi Namgyal, que havia estabelecido o Colégio Thongmon Lama, entregou a cadeira a Gewa Gyaltsen, e optou por viver no palácio Lama inferior. Com especial consideração de Choje Choe Gyaltsen, muitos estudiosos executaram as funções de explicar e ouvir, na medida em que toda a região circundante estava cheia de estudiosos, como um enxame. Embora o Instituto tenha sofrido algum grau de degeneração, o 17º detentor do trono, Khyenrab Jampa, foi bem-sucedido o suficiente para restaurar a faculdade monástica. Ele também estabeleceu um Instituto Filosófico. Shabdrung Khyenrab Norbu foi designado como o principal zelador do instituto. Sua reencarnação, o 1º Zimog Ngawang Sangye Tenzin, o 2º Zimog Ngawang Tenzin Trinlay, o 3º Zimog Chetsun Tenzin Nyendrak, o 4º Zimog Ngawang Kunga Tenzin e o 5º Ngawang Tenzin Trinlay [agora morando na Suíça], também fizeram sua parte de contribuições para manter viva a tradição Tsarpa. Namrab Dagpo Dratsang, fundada por Tashi Namgyal; Shedrup Dhargyae Ling de Lithang, fundada por Khyentse Rabten, sobrinho de Khyenrab Jampa; e Dhiphu Choedhe, em Amdho, fundado por Choje Choedak Sangpo, são os principais monastérios do Mosteiro de Nalendra. O Mosteiro de Lithang, onde até hoje residem quinhentos monges, tornou-se uma fonte de Sutra e Tantra e grandes estudiosos como Deshung Choktrul Rinpoche Jamyang Kunga Tenpae Gyaltsen e Nyendrak Lungrig Nyima, ornamentos que embelezam a Terra, abençoaram este mosteiro. Nos primórdios, o mosteiro de Amdho, Dhiphu Choeje, abrigava mais de mil monges. Portanto, Nalanda (seu nome atual) ficou famosa por ter 108 mosteiros espalhados por toda Amdho, Gyalrong, Tsawa Rong e Utsang. Originalmente, Nalendra era um grande Instituto Filosófico, mas, mais tarde, Dagchen Lodoe Gyaltsen converteu-o em uma faculdade tântrica. Mais tarde, Khyenrab Tenzin Sangpo, Khyenrab Jampa Ngawang Lhundrup, e Khyentse Rabten, e assim por diante, do Palácio Chogye Lama, bem como Khedrup Sangye Tenzin, e assim por diante, do Palácio Zimog Lama, mantiveram a tradição Tsarpa.

Com base na manutenção de preceitos morais, como Sua Eminência se dedicou a audição, contemplação e meditação no Tibete

 

Aos 22 anos, no Mosteiro de Tanak, ele recebeu, do grande estudioso e adepto Khenchen Ngawang Lodroe Shenphen Nyingpo, a ordenação de Bhikshu, que é a raiz da doutrina, com o pensamento de renunciar a todas as coisas mundanas. Seus preceitos morais permaneceram puros, sem ter qualquer mancha dos Oito Dharmas Mundanos ou impurezas e transgressões. Sua declaração em sua autobiografia justifica esses fatos – “Eu sempre tento o meu melhor para me envolver em preceitos genuínos, sem qualquer pretensão”.  Pelo bem de infinitos seres sencientes, ele recebeu do mesmo Khenpo os votos bodisatva de duas tradições diferentes. Sua autobiografia diz ainda: "Embora eu esteja privado de quaisquer qualidades por nascimento e por aprender, como resultado da minha prática de paciência, aos olhos de quem vê, todos os que me veem estão satisfeitos." Esta declaração dele é suficiente para confirmar que ele sempre manteve seus votos bodisatva sem falhar. Aos dez anos, a fim de realizar, com facilidade, benefícios para si e para os outros, ele recebeu a iniciação dos Quatro Tantras de Khenchen Ngawang Lodroe Shenphen Nyingpo e Zimwog Jampa Kunga Tenzin, após a qual tomou os votos tântricos e se absteve de originar quaisquer violações de raiz e ramos.  Ainda outra declaração de sua autobiografia que diz: "Estou satisfeito, pois até agora nunca criei uma falha sutil em relação à observação da disciplina de confiar no mestre", o que revela que ele valorizava seus Gurus e os ensinamentos que recebeu deles. Isso, porque, agradar o Guru é a raiz de todos os votos samaya do Tantra e a fonte de todas as qualidades.

Ele recebeu ensinamentos relacionados à Literatura, como Sumtak (Gramática Tibetana) Sakya Leg-shed, 3º Capítulo da poesia tibetana, astrologia e geomancia, comentário sobre Sumtak por Shenphen Thaye, comentário de Sumtak, popularmente conhecido como Situ Drelchen, de Khenpo Ngalo Rinpoche, Gephel Chogtrul Rinpoche, Dordrak, Tsewa Rinpoche, Minling Chung Rinpoche e Tanak Nag-gichuk, respectivamente.

Ele recebeu ensinamentos filosóficos como: Gyalsay Laglen, Bodhicharyavatara, Abhidharma Kosha, Domsum Jamyang Lamey Gong-gyen, Madhyamaka e Prajanaparamita etc., de Geshe Tsephel e Khenpo Ngag-lo Rinpoche, respectivamente.

Ele ainda recebeu ensinamentos sobre a coleção de Sadhanas de Kunga Choephel; uma iniciação de Konchok Chidhu conhecida como Tesouro Oriental, Lamdre exotérico; transmissão oral dos Quatro Volumes Ngorchen Kabum; iniciação de Mahakala maior e menor; cem ensinamentos explicativos da tradição Jonang, Sadhana Dod-jo Bumsang da tradição Nyingma; iniciação de Dudsolma, transmissão oral e ensinamentos explicativos de Namsey; as Três deidades masculinas vermelhas e as Três femininas vermelhas; bênção incomum de Lhamo Rabtenma; a coleção de 14 volumes de Sadhanas de Zimwog Rinpoche; uma iniciação de Guhya Samaja de Manjuvajra de Vajra, mestre de Nalendra; a Coleção de Tantras de Khenchen Ngawang Shenphen Nyingpo; Três divindades vermelhas, de Sua Santidade do Palácio Drolma; transmissão oral de Shuchen Kabum de Khangsar Jampal Nyingpo; um empoderamento de Vajrakilaya superior e inferior, de Gongma Kunga Gyaltsen; uma iniciação de Makzorma; bênçãos das 21 deidades femininas, de Lhatsun Rinpoche; e o Nying-thig Yashi e a transmissão única incomum do Lamdre, de Jamgon Khyentse Choekyi Lodroe. Dessa forma, ele se tornou um tesouro do Tantra e instruções essenciais, dominando em explicação, debate e composição, como resultado de extensa audição e contemplação.

 

Prática de retiro

Aos 12 anos, passou por uma prática de retiro de Tseta Sungdrel, Hayagriva e Bhutadamara; aos 17 anos, por Guhyasamaja da tradição Manjuvajra, Mahakala das Dez deidades Iradas, Simhamukha, Manjushree Branco e Tara Branca; aos 21 anos, o retiro de acumulação de mantras Hevajra por nove meses; aos 22 anos, por Vajrayogini; aos 26 anos, Vairochana e Mahakala de Quatro Faces; aos 27 anos, por Vajrabhairava, da tradição Tsarpa; aos 35 anos, Kalachakra; aos 36 anos, retiro geral em Os Senhores de Três Famílias e o Mahakala de Quatro Faces; aos 38 anos, Chakrasamvara; aos 40 anos, Manjuvaksimha. Dessa forma, ele passou por retiros essenciais das numerosas deidades tutelares e, como resultado, sem dúvida, ganhou múltiplas realizações. No entanto, tem sido o caráter dos seres nobres não divulgar suas realizações. Para apoiar isso, a partir de sua autobiografia, revela: "Embora eu tenha participado da prática de retiro de muitas divindades em tempos diferentes, não tenho nenhum sinal de realização. No entanto, encontrei fé estável e infalível no profundo Dharma". Esta declaração de Sua Eminência confirma, ainda, que ele estava plenamente satisfeito com o alimento da devoção e tinha se tornado um grande Yogeshwara dotado das quatro autênticas linhagens sussurradas. 

Algumas das notáveis atividades acadêmicas de Sua Eminência

A doação do nobre Dharma com compaixão e sem erro, para libertar seres sencientes dos medos do Samsara e do Nirvana, tinha sido a principal atividade de Sua Eminência. Aos 22 anos, ele deu o esotérico ensinamento do Lamdre, no Chogye Lama Palace, para cerca de 150 Lamas e monges.

Aos 23 anos, para cerca de cem Lamas e monges, ele deu o exotérico ensinamento do Lamdre. Aos 27 anos, Sua Eminência também deu ensinamentos explicativos sobre Madhyamaka, na faculdade Thongmon Lama de Nalendra.  Aos 34 anos, no Mosteiro de Tashi Chodhe de Yarlung, deu empoderamento de inúmeros Tantras, como o Kalachakra, de acordo com a tradição Buton, e o ensino Chakrasamvara conhecido como Khandro Gyatso. Além disso, em Nalendra, ele deu aulas de 12 Mandalas de Purificação baseadas em Mahavairochana. No Mosteiro de Dephu Chodhe, em Amdho, deu o ensinamento de Kalachakra da tradição Buton a Zongkar Rinpoche. Ele também deu muitas bênçãos introdutórias de sabedoria, mais de quarenta grandes iniciações do Tantra, e ensinamentos explicativos sobre Vajrayogini, para os Lamas e monges residentes e visitantes. Aos 30 anos, para mais de seis mil discípulos, consistindo de leigos e celibatários, ele deu Kalachakra de Buton. Aos 37 anos, Sua Eminência concedeu o esotérico Lamdre a 170 Lamas e monges de Nalendra.

 

Atividades espirituais

Ele restaurou o santuário da assembleia de Nalendra. Aos 33 anos, ele instalou três Ganjiras douradas [pináculos] construídos de bronze, em cima do santuário da Assembleia de Nalendra, que foram ligados com borlas intimamente tecidas por aves mitológicas conhecidas como Shang Shang, cercadas por Padmachuzar [gait em forma de lótus]. Aos 34 anos, ele estabeleceu grandes ritos propiciatórios de Vajrabhairava, no colégio monástico conhecido como Sangchen. Aos 37 anos, ele criou um Instituto para Estudo de Tantra de Hevajra, para geshes graduados em faculdades filosóficas. Aos 39 anos, ele construiu uma Mandala tridimensional de Akshobhya, cravejada com vários tipos de joias preciosas decoradas com nove deidades feitas de prata sólida, e estabeleceu um grande rito propiciatório de Akshobhya. Além disso, ele adquiriu uma imagem do Buda, banhada de dourado em tamanho humano; um conjunto de 16 Arhats, cada um com dois metros de altura; uma imagem de Amitayus em tamanho humano; uma flecha de Tara Branca e Ushnishavijaya; Tara Verde e Guru Padma Sambhava em tamanho humano. Ao todo, havia mais de 70 estátuas banhadas a ouro. Além disso, ele também construiu um Ganjira de bronze, banhado a ouro e oito bandeiras da vitória - todas essas estátuas foram preenchidas com mantras autênticos. Ele também pintou muitas Thangkas. Isso incluiu a pintura de 35 deidades de purificação; 07 deidades de Amitayus (deidade de longevidade), Thangkas bordadas, um conjunto completo de mandalas da Coleção de Tantras. Ele também adquiriu 25 conjuntos de vajra e sinos para serem usados nas iniciações. Ele forneceu ao mosteiro textos superiores a cem volumes de publicações Derge, tanto em manuscrito quanto em forma pintada. Dessa forma, Sua Eminência acumulou imenso mérito ao nunca permitir que nenhuma oferta recebida fosse desperdiçada.

Os primeiros dias de seu exílio em Mustang

Aos 40 anos, em 1949, após mudanças repentinas no Tibete, Sua Eminência deixou o Tibete com Zimog Rinpoche, Tsetrul Rinpoche e a idosa mãe de Nagchen Shabdrung. Após três meses de viagem árdua chegaram ao palácio Lowo Tredkahr do Rei Mustang, com quem sua irmã mais velha era casada. No Mosteiro Sakya, em Mustang, ele concedeu votos de noviço e Bhikshu a centenas de monges. Em alguns dos mosteiros em Mustang, ele introduziu ritos vinaya dos preceitos raiz. Ele também estabeleceu o grande puja propiciatório de Hevajra. Em outros mosteiros, ele concedeu iniciações como, Caminho e Causa de Hevajra, um conjunto de cem Sadhanas (Sadhanashataka) e um ensinamento explicativo de Vajrayogini. Em 1961, ele concedeu Lamdre esotérico e ensino explicativo sobre as Dez Deidades Iradas da família Mahakala, em Lo Zong Chodhe em Chumig Gyatsa e no Mosteiro Lo Monthang, respectivamente. No outono, ele partiu para uma viagem de peregrinação aos lugares sagrados da Índia e do Nepal. E novamente voltou a Mustang várias vezes e no Mosteiro de Monthang, Sua Eminência concedeu a iniciação das 12 mandalas de Vairochana para mais de 500 devotos; no Mosteiro de Namgyal, ele concedeu as 12 mandalas de Vairochana e a tradição Vairabhairava de Ra Lotsawa; para 300 discípulos no Mosteiro Geme, ele deu a transmissão oral das obras completas de Ngorchen Vajradhara, e no Mosteiro de Tsarang, Lamdre Lobshey, a iniciação de Chakrasambhara da tradição Luipa e Krishpa. Da mesma forma, ele concedeu a iniciação de Kalachakra da tradição Buton, a pedido especial de Monthang Khenpo, para mais de 3000 devotos.

Atividades espirituais na Índia

Em 1962, ele foi para Dharamsala e, com consentimento mútuo, ficou junto com Zimog Rinpoche, que já havia estado lá. Na época, ele recebeu Lamrim e Ngag-rim do 14º Dalai Lama; a Grande iniciação de Guhyasamaja, a Bênção de Vajrayogini, ensinamentos explicativos sobre Vairabha e Vinaya Sutra, de Ling Ripoche, e Lamrim Namdrol Lakchang, de Yongzin Trijang Rinpoche, em Varanasi. De Sakya Khenchen Sangye Tenzin ele recebeu comentários de Domsum Rabye (Trisambharaprabedhna).  Ao mesmo tempo, ele concedeu a iniciação de Hevajra, o ensino explicativo de Vajrayogini; e Sumtak e Nyengag da gramática tibetana para alguns dos discípulos interessados. No ano de 1965, ele foi ao Shri Lanka para participar de uma Conferência Mundial de Sangha, representando Sua Santidade, o Dalai Lama. Mais tarde, ele serviu o governo tibetano no exílio na qualidade de secretário eclesiástico.

Seus dias e atividades no Nepal

Em 1967, na época em que ele foi visitar seus parentes em Mustang, ele teve uma discussão significativa com o Rei de Mustang em que tomaram a decisão unânime de construir um mosteiro em Lumbini. A pedido do Rei de Mustang, o então Rei do Nepal, Raja Mahendra, conferiu a ele dez Katas de terra. Em 1969, Sua Eminência imediatamente começou a construir um mosteiro e lentamente o completou, incluindo a infraestrutura externa, juntamente com a decoração interna do mosteiro, com murais no santuário principal e a imagem dourada de bronze do Senhor Buda. Assim, ele estabeleceu a comunidade da sangha em Tashi Rabten Ling. Selecionou monges e praticantes bem qualificados entre os Sakya, Ngorpa e Tsarpa, e estabeleceu um Centro de Retiro de Três Anos para a prática do Lamdre. Ele dava ensinamentos de orientação para os praticantes. Para manter a consistência na prática de Lamdre, ele também repetiu um retiro semelhante em Katmandu e guiou os praticantes.

No ano de 1971, Sua Santidade Sakya Trizin propositalmente o visitou em seu mosteiro em Lumbini e pediu-lhe para conceder à Sua Santidade o ensinamento da Coleção de Tantras, que ele havia recebido de Khenchen Vajradhara Ngawang Lodrue Shenphen Nyingpo. Sua Eminência ofereceu seu aceite para Sua Santidade, e, como um começo auspicioso, concedeu a iniciação de Thuppa Dhamtsig Sumkod, (Três Samayas de Buda). Em 1972 e 1973, durante este período de dois anos, ele deu o restante do ensinamento sobre a Coleção de Tantras à Sua Santidade, na residência deste último, em Rajpur. Naquela ocasião, Dorjee Trengwa (Vajramala) e alguns outros ensinamentos foram dados à presente sangha, liderada por Sua Eminência Luding Khenchen Rinpoche.

Com a concessão de grandes ensinamentos para Sua Santidade Sakya Trizin, como: A Coleção de Tantras, consistindo em 315 grandes iniciações, 25 ensinamentos explicativos e explicação do Tantra de Hevajra, Sua Eminência fez uma contribuição incomparável para a doutrina Vajrayana e por isso somos obrigados a ser muito gratos a ele. Também, Khenchen Ngag-lo Rinpoche ofereceu para Sua Santidade Sakya Trizin todos os ensinamentos de Linhagem sussurrada que ele recebeu de Zimwog Rinpoche. Assim, por essa razão, é que os ensinamentos Sakya por Linhagem sussurrada (transmissão sussurrada ao discípulo) ainda estão vivos neste mundo. A declaração de Jamyang Khyentse Wangpo Rinpoche "Nalendra é a fonte do Tantra e das Instruções essenciais", pode ser tomada como sua profecia, prevendo as atividades espirituais incomparáveis de Sua Eminência. Para alguns dos 330 devotos liderados por Lama Namgyal, do Canadá, Sua Eminência concedeu a iniciação de Kalachakra da tradição Buton. Em 1980, durante o ensino do Lamdre por Sua Santidade, ele concedeu a transmissão oral do texto do Lamdre e a bênção de Nairatma aos destinatários do ensino do Lamdre. Em 1982, ele também deu o Lamdre Martri (explicado palavra por palavra) para Sua Santidade Sakya Trizin. Desde que ofereceu o ensino do esotérico Lamdre Lobshey, juntamente com muitos ensinamentos Sakya profundos, à Sua Santidade, o 14º Dalai Lama, ele se tornou o ornamento da coroa de Padmapani (Dalai Lama).

Em Lumbini, para alguns discípulos estrangeiros, ele deu ensinamentos sobre Kalachakra da tradição Jonang e a iniciação de Guhyasamaja. A pedido de Zimwog Rinpoche e Karma Trinlay Rinpoche, Sua Eminência concedeu a Coleção de Sadhanas à assembleia da Sangha. Durante esse tempo, no terreno concedido por Sua Santidade (Leo: Sakya Trizin ou Dalai Lama?), Sua Eminência construiu um mosteiro, juntamente com uma imagem de Buda Maitreya, e o chamou de Jamchen Yiga Chodzin Ling, e mais tarde tornou-se sua residência principal.

A pedido de Kriti Tsenshab Rinpoche e Zodpa Rinpoche, a fim de restaurar a transmissão de Wang-gya Norbui Trengwa (Shatabhisheka Ratnamala), da tradição Gelugpa, Sua Eminência concedeu os ensinamentos extraídos da Coleção de Tantras. Ele também deu ensinamentos ao público, como Kalachakra e outros.

Ele estabeleceu o Centro de retiro, Nyengyu Samten Choe-Ling e Chimey Phodrang, para mais tarde ser usado como Casa de Iniciações, e lá deu o Esotérico Lamdre Lobshey. O terceiro retiro Lamdre também foi realizado naquele momento. Sua Eminência construiu casas de hóspedes e novos alojamentos de monges, para um número cada vez maior de membros da Sangha e para os patrocinadores e discípulos visitantes.

A pedido de devotos estrangeiros ele visitou Cingapura, Malásia, América, Taiwan, Japão, Austrália, Hongkong, Canadá e Europa e deu ensinamentos relevantes para seus discípulos. Em Boston, EUA; em Kuching, Malásia; em Taipei, Taiwan; e em Barcelona, Espanha, ele concedeu a iniciação de Kalachakra. Com isso, ele colocou numerosos devotos de diferentes estilos de vida sobre o caminho Vajrayana e os amadureceu.

Ele também estabeleceu vários Centros de Dharma. Mais tarde, a um pedido especial, ele foi à França para iniciar o 17º Karmapa, Thaye Dorjee, e lhe deu numerosas iniciações da Coleção de Sadhana.

Em resposta a Dharthang Rinpoche, a aspiração de Kunga Yeshi Dorjee de estabelecer os Festivais de Oração de Monlam das quatro escolas do budismo tibetano nos lugares sagrados do Senhor Buda, Sua Eminência tornou-se uma inspiração por trás da formação do comitê Sakya Monlam e ofereceu as instalações iniciais necessárias. Assim, abrindo uma nova porta de mérito em Lumbini, o Sakya Monlam é realizado todos os anos por monges Sakya, sob a orientação e supervisão de Sua Santidade Sakya Trizin. Com o objetivo de facilitar os jovens monges em seus estudos, e para acomodar monges Sakya que vinham participar do Festival de Monlam, Sua Eminência construiu o Mosteiro Tashi Rabten Ling, que foi inaugurado com sucesso em 2004.

Discípulos Espirituais de Sua Eminência

A maneira como Sua Eminência havia produzido discípulos já foi explicada anteriormente. Quase não há Lamas estudiosos na Índia e no Nepal que nunca foram seus alunos. Desnecessário dizer, todos os Rinpoches e monges de Sakya, Ngorpa, Tsarpa e Zongpa, foram seus discípulos diretos ou indiretos.

Composições de Sua Eminência

Os três capítulos de Nyen-ngag Melong, texto de poesia tibetana, e o comentário sobre o Abhidharma-Kosha, que ele compôs anteriormente, foram deixados no Tibete. Durante o exílio, ele teve alguns textos importantes sob seu crédito. Isso incluiu uma História Sakya conhecida como "Afortunada Festa da Mente: Uma Curta História do Glorioso Sakya, Carruagem de Sutra e Tantra do Tibete" e um pequeno manual de Lamdre, conhecido como "Espelho-joia Revelador do Significado Profundo". Sua Eminência quase nunca se desviou de sua rotina de prática diária. Além disso, na última parte de sua vida ele passou todo seu tempo na prática espiritual em sua cela de meditação pessoal em Jamchen Lhakhang.

Uma exposição das atividades de seus últimos dias

Sua Eminência foi para Lumbini para o Festival Monlam Sakya de 2006. Após a conclusão do Monlam, mostrou alguns sinais do desequilíbrio em seus elementos internos, em 17 de janeiro de 2007 voou de volta ao Mosteiro de Jamchen. Como os médicos presentes sugeriram que o estado de saúde de Sua Eminência não estava tão bem, ele foi levado para o lugar sereno chamado Narayanthan, onde está situado o centro de retiro Nyengyu Samten Choe-Ling. Aos 87 anos, em 22 de janeiro, correspondendo ao 4º dia do 12º mês lunar do calendário tibetano, às 6h30, Sua Eminência passou desse mundo para o Parinirvana.

Até o 19º dia do 12º mês lunar, durante 16 dias ele permaneceu no estado pós-morte de absorção meditativa [Samadhi]. Como sinal de realização da luminosidade, desprovida de todas as fabricações e livre das manchas de aparências dualistas de sujeito e objeto, seu corpo sagrado permaneceu radiante sem qualquer odor. De acordo com a orientação de Sua Santidade, dois grandes pujas propiciatórios de Mahavairochamna e Hevajra foram realizados todos os dias no Mosteiro de Jamchen; duas seções da Sangha estavam envolvidas na realização do puja de Mahakala; e no Centro de retiro, o puja propiciatório de Vajrayogini foi realizado. Para não perturbar o Samadhi, então em andamento, foi tomado um cuidado especial para evitar toques, sons e cheiros desnecessários. Um grupo selecionado de monges, liderados por Garshab Rinpoche, recitou a habitual Sadhana que Sua Eminência costumava realizar durante sua vida.

Sua Eminência Gyana Vajra Rinpoche, Sua Eminência Dungsey Abhisheta Rinpoche, Sua Eminência Luding Khenchen Rinpoche, Sua Eminência Thartse Khen Rinpoche, Sua Eminência Tulku Dorjee Denpa Rinpoche, Sua Eminência Chogye Shabdrung Rinpoche, que estava estudando no Sakya College, Khenpo Gyatso e Khenpo Jamyang Tenzin, chegaram em Kathmandu para a audiência do Corpo Santo. Eles, junto com Shamarpa Rinpoche, Tulku Choekyi Nyima Rinpoche, Chogling Rinpoche, Phagchok Rinpoche e Rana Rinpoche, que estava em retiro para a prática de Lamdre há mais de dez anos, viram o Corpo Santo e fizeram súplicas para cumprir sua aspiração.

Em um momento, surgiu no céu claro, uma formação incrível de finas nuvens brancas e um arco-íris multicolorido. No 19º dia do 12º mês lunar, como um sinal de ascensão do Samadhi, sua pele perdeu brilho, seu corpo ficou frágil e mostrou mudanças físicas significativas.

Para trazer o Corpo Sagrado, do Centro de Retiro em Narayanthan, para o Mosteiro de Jamchen, em Boudha, muitos Rinpoches e Lamas de diferentes escolas, membros do Centro de Rana Rinpoche, pessoas de Manang, Mustang, Sherpa, Tamang e tibetanos, voluntariamente se reuniram em coordenação com o principal comitê organizador.

Acharya Narayan Rijal, do Byoma Kusuma Dharma Center, narrou a história de vida de Sua Eminência através de um alto-falante, enquanto seu carro o conduzia, liderando a cavalgada carregando o Corpo Sagrado de Sua Eminência. Quarenta motocicletas carregando bandeiras budistas Sakya acompanhavam a cavalgada que era seguida por dez jipes totalmente decorados em flores coloridas, carregando monges com mantos de açafrão, segurando numerosos tipos de bandeiras, estandartes da vitória, guarda-sóis, tigelas de incenso e substâncias de oferenda. Acompanhando estavam cinco lindas donzelas de Byoma Kusuma lideradas por Guruma Niru Rana, em pé em um Jeep enfeitado com flores e fitas multicoloridas espalhavam flores na estrada, marcando o caminho para o caminhão que transportava o Corpo Sagrado de Sua Eminência. Em seguida estava um magnifico caminhão, incrivelmente decorado com flores amarelas, caros brocados e sedas formando laços e borlas. O trono superior dentro do caminhão sustentava o Corpo Sagrado, residindo alegremente sob um maravilhoso guarda-sol virando da esquerda para a direita. Depois, 15 carros bem decorados com representantes do Dalai Lama, Rinpoches de diferentes escolas, Lowo Choegyal Chenpo, Norgyunma de Hong Kong, Dr. Yulha Sherpa, Presidente do Comitê de Administração e Desenvolvimento do Gumba, e assim por diante, acompanharam a caravana de uma maneira bastante marcante. Na estrada principal, havia dez arcos bem decorados com faixas representando doces versos de cortar o coração, em tibetano e nepalês, em honra a Sua Eminência. Entre cada portão estavam monges e manjas envoltos nos mantos de açafrão de diferentes mosteiros das cinco tradições, incluindo os Bonpos. Devotos leigos aos milhares, de diferentes partes do Nepal, hastearam bandeiras da vitória e guarda-sóis, encheram o ambiente com incenso, espalharam flores e tocavam inúmeros tipos de instrumentos musicais. Assim, a longa linha de recepção evocava fé e devoção nos fluxos mentais de todos.

Um número incontável de pessoas ao longo da extensão da estrada principal e, especialmente na circunferência da área de Boudhanath, inspiradas pela fé, prestou seu respeito ao Corpo Santo, que deu sentido a quem entrou em contato com ele. Uma chuva de flores caiu de um helicóptero. Da stupa, Khenpo Tenzin Sangpo e Brahman Khenpo Ngawang Tsultrim, e do topo do Mosteiro de Jamchen, Lama Guru, Lotsawa Punya Prasadh Parajuli e John Deweese narraram a biografia de Sua Eminência em tibetano, nepalês e inglês, respectivamente.

Naquele dia em particular, o céu estava cristalino e quando o caminhão enfeitado carregando o Corpo Sagrado entrou no círculo da Stupa de Boudhanath, um guarda-sol arco-íris apareceu no céu, brilhante o suficiente para matizar a cor dos mantos de açafrão da comunidade de sangha. Testemunhando isso diretamente, os devotos foram movidos e tocados pela fé e explodiram em comentários alegres. O caminhão enfeitado foi então guiado para fazer uma circunvolução completa em torno da Stupa de Boudhanath, e o Corpo Sagrado foi finalmente colocado sobre um trono que tocava o telhado erguido em sua cela de meditação habitual, no topo do Mosteiro de Jamchen. Embora a procissão do Corpo Sagrado tenha sido iniciada às 9h00 da manhã, chegou ao Mosteiro de Jamchen às 13h00, depois de tomar quatro horas inteiras para um percurso de 9 quilômetros, geralmente uma distância feita de carro em 20 minutos. Depois de alguns dias, ocorreu uma surpreendente nevasca em Katmandu, na forma de uma chuva de flores. Como tal, os eventos pós-morte de S. Ema 25º Chogye Trichen Rinpoche colocaram os discípulos em um estado de encantadora alegria e elogios a Sua Eminência.

No 24º dia do segundo mês do calendário lunar de 2007, Sua Santidade Sakya Trizin abençoou-nos com sua visita e gentilmente presidiu os Ritos de Cremação de Sua Eminência, realizados no dia 3 de março, correspondendo ao 15º dia do 1º mês lunar do calendário tibetano, no dia em que o Buda, dotado de Dez Poderes, realizou os Grandes Milagres.

Fonte: http://chogyeshabdrung.blogspot.com/

* Traduzido para o português pelo Grupo Wisdom Light

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
1/1