Ngorchen Künga Zangpo

1382 - 1456

Ngorchen Kunga Zangpo (ngor chen kun dga bzang po) nasceu em 1382 no mosteiro Sakya no Tibete.  Sua mãe era Sonam Pelden (bsod nams dpal ldan).  A identidade de seu pai é um pouco obscura.  De acordo com a biografia escrita por seu principal discípulo, Muchen Konchok Gyeltsen (mus chen dkon mchog rgyal mtshan, 1388-1469), o pai de Ngorchen era Pontsang Drubpa Yonten (dpon tshang grub pa yon tan), o "grande assistente" (nye gnas chen  po) do Tsok Sakya, uma cerimônia especial da sangha Sakya.  Seus antepassados, depois de se mudarem de Dringtsam (traga mtshams) para Sakya, viveram como nômades e depois serviram como condutor pessoal (gsol ja ba) do lama principal do Zhitok Labrang (gzhi thog bla brang) em Sakya.  No entanto, algumas fontes afirmam que Pontsang Drubpa Yonten era apenas o pai de Ngorchen externamente (phyi ltar) e que internamente (nang ltar), seu pai secreto (sbas pa'i yab) era Tawen Kunga Rinchen (ta dben kun dga '  rin chen, 1339-1399) do Zhitok Labrang, o décimo sétimo Sakya Trizin.

Aos seis anos, Kunga Zangpo iniciou seus estudos formais e, aos nove anos, fez votos laicos e como noviço monástico com seu primeiro professor, Sharchen Yeshe Gyeltsen (shar chen ye shes rgyal mtshan, 1359-1406).  Sob a orientação de Sharchen, Kunga Zangpo completou os votos monásticos de bodhisattva e mantrayana, e se tornou um especialista tanto em sutra como em tantra.  Tinha uma profunda compreensão dos rituais e práticas específicas da escola Sakya, tornando-se o principal discípulo de Yeshe Gyeltsen.

Aos vinte e cinco anos, depois que Yeshe Gyeltsen faleceu, Kunga Zangpo viajou para Shang Chokor Gang (shangs chos 'khor sgang) para estudar com Kyabchok Pelzang (skyabs mchog dpal bzang, d.u.).  Durante seus estudos com Kyabchok Pelzang, Ngorchen não conseguiu receber a transmissão completa do Lamdre, e por essa razão procurou um professor qualificado no Lamdre.  Porém, em Sakya, os professores qualificados haviam recentemente falecido, ou não estavam presentes na época. Ngorchen ouviu falar de Buddhaśrī (bu d + ha shrI, 1339-1420), também conhecido como Sanggye Pel (sangs rgyas dpal), que vivia em Zhi Gon (zh dgon).  Dizem que quando chegou a Zhi, encontrou o mosteiro e Buddhaśrī exatamente como havia visto previamente em uma visão.

Depois de estudar com Buddhaśrī em Zhi, Kunga Zangpo retornou para Sakya com esse mestre, e continuou a estudar com ele.  Além dos mestres já mencionados, também estão entre os professores de Kunga Zangpo, Pelden Tsultrim (dpal ldan tshul khrims, 1333-1399), Kunga Gyelsten (kun dga 'rgyal mtshan, du), Zhonnu Lodro (gzhon nu blo gros, 1358-1412 / 24), Tashi Rinchen (bkra shis rin chen, du) e Lotsāwa Kyabchok Pelzang (lo tsA ba skyabs mchog dpal bzang, du).

Tendo se destacado como mestre do tantra, Kunga Zangpo defendeu os ensinamentos de Sakya de um ataque de Khedrubje Gelek Pelzang (1385-1438), que questionou a autenticidade dos ensinamentos de Hevajra.  A tradição nascente de Gelupa, da qual Khedrubje era líder, e a tradição Sakya de Kunga Zangpo competiam pelo patrocínio crescente da família Rinpung (rin spungs).

Quando Kunga Zangpo completou 29 anos, foi para o mosteiro de Sabzang (sa bzang dgon), onde permaneceu por três anos  e ocupou uma posição de autoridade, oferecendo a seus alunos, uma ampla gama de instruções, incluindo comentários sobre textos, iniciações e cerimônias de ordenação. 

 

Em 1429, aos quarenta e oito anos de idade, Kunga Zangpo estabeleceu o Mosteiro Ngor Ewaṃ Choden (ngor e waM chos ldan), que posteriormente se transformou na sede da sub-escola Ngor, uma das três principais divisões da tradição Sakya.  Segundo sua autobiografia, Kunga Zangpo, que seguia estritamente os códigos monásticos do Vinaya, achou que Sakya era muito movimentada, e procurou um lugar mais silencioso para praticar.  O vale de Ngor, ele escreveu, era um "lugar remoto, sem distrações".  No entanto, Ngor logo se transformou em um grande centro de prática Sakya, com mais de mil monges.  O currículo em Ngor era baseado diretamente na linhagem Sakya, nas instruções orais e nas quatro classes de tantra, e era o centro institucional da transmissão de Tsokshe (tshogs bshad) e dos ensinamentos de Lamdre.  No novo mosteiro, Kunga Zangpo supervisionou a construção de um templo principal, além de muitas estátuas e outros recursos para a prática religiosa.  Ele também criou uma faculdade monástica e encomendou um Kangyur escrito em ouro.

Seguindo o convite dos reis de Mustang (glo bo smon thang), Ngorchen viajou três vezes para este reino.  Suas duas primeiras viagens ocorreram em 1427 e 1436, a convite de Ame Pel (a me/ma dpal, 1388-1440), rei de Mustang, e sua terceira jornada de 1447-1449, a convite de Amgon Zang (um  mgon bzang, n. 1420), filho e sucessor de Ame Pel.  Durante suas três jornadas, Ngorchen estabeleceu um seminário em Vinaya chamado Tenchen Duldra Domsumling, o Drakar Chode Tekchen Dargyeling (brag dkar gyi chos sde theg chen dar rgyas gling) e o Jampa Lhakang (byams pa).  lha khang).  Além disso, liderou a produção de uma edição do Kangyur e iniciou a criação de um Kangyur em letras douradas.  Ele também ordenou o rei de Mustang Ame Pel, bem como o rei de Guge, Tri Namkhai Wangpo (khri nam mkha'i dbang po, d.u.) em Khorchak ('khor chags).

Os muitos estudantes de Kunga Zangpo incluem os sete abades seguintes de Ngor, ou Ngor Khenchen: Muchen Sempa Chenpo Konchok Gyeltsen (mus chen sems dpa 'chen po dkon mchog rgyal mtshan, 1388-1469), Jamyang Sherab Gyatso (' jam dbyangs shes rab rgya mtshan ')  (c.1396-1474), Kunga Wangchuk (kun dga 'dbang phyug, 1424-1478), Pelden Dorje (dpal ldan rdo rje, 1411-1482), Gorampa Sonam Sengge (rams pa bsod nams seng ge, 1429-1489)  ) e Konchok Pelwa (dkon mchog 'phel ba, 1445-1514).  Entre seus outros alunos estão Lodro Wangchuk (blo gros dbang phyug, n. 1402), kākya Chokden (shAkya mchog ldan, 1428-1507), Paṇchen Bumtrak Sumpa (paN chen 'bum phrag gsum pa, 1432 / 3-1504), Markam Drakpa Zangpo  (smar khams pa grags pa bzang po, du), e o Segundo Drukchen, Kunga Peljor ('brug chen 02 kun dga' dpal 'byor).

 

Kunga Zangpo foi extremamente produtivo e suas obras contêm quase duzentos títulos. Devido a seus muitos trabalhos escritos, os ensinamentos que ofereceu, suas realizações como praticante e a principal instituição monástica que ele estabeleceu, Kunga Zangpo está incluído entre os famosos mestres Sakya que vieram a ser conhecidos como os Seis Ornamentos do Tibete.

oo0oo

Fonte: https://treasuryoflives.org/

* Traduzido para o português pelo Grupo Wisdom Light